Final do Euro 2016 – Detalhes Protocolares

A final do Euro 2016 já lá vai e, para além da alegria da vitória de Portugal, existem alguns elementos interessantes de serem analisados a nível protocolar. Particularmente no que diz respeito à primeira fila da tribuna presidencial, ao momento da entrega das medalhas e respetiva taça e à ordem dos hinos.

Comecemos então pela tribuna presidencial do Stade de France, nome do estádio que acolheu a final do passado 10 de julho.

Em primeiro lugar, a tribuna presidencial é sempre um lugar especial, onde se sentam os principais dignatários de cada país, neste caso de França e Portugal e outros representantes de diversas instituições, como da organização a UEFA.

A divisão dos lugares nesta tribuna presidencial foi feita através da atribuição pela UEFA de um conjunto de disponibilidade a diversas entidades, como a Presidência e Governo francês, Federações de Futebol e outros parceiros e entidades.

Na primeira fila da tribuna presidencial podemos encontrar, face aquilo que as fotografias e alguns vídeos permitiram ver a presença das seguintes individualidades.

Por mais estranho que possa, ou não parecer, a figura central desta primeira fila é o primeiro-Vice-Presidente da UEFA, José Angel Villar, e é a partir dessa figura central que se dispõem posteriormente para a direita e para a esquerda um conjunto de figuras.

Assim e de forma correta à direita do Vice-Presidente da UEFA, surge o Presidente Francês, François Hollande, seguido do Presidente da Federação Francesa de Futebol, Noël Le Graët e do Primeiro Ministro de França Manuel Valls.

A esquerda de Villar, surge o Presidente da República, Marcelo rebelo de Sousa, seguido do Presidente da Federação Portuguesa de Futebol e por comparação com o lado francês, surge agora uma diferença, com a colocação do Presidente da FIFA Giani Infantino, antes do Primeiro Ministro António Costa.

Depois de António Costa, surgem duas figuras dos quadros diretivos da FPF, José Luís Arnaut Presidente da Assembleia Geral da FPF, Humberto Coelho, Vice-Presidente da FPF e só depois Tiago Brandão Rodrigues Ministro da educação que tem a tutela do Desporto.

O porquê desta gestão de lugares, nomeadamente no que diz respeito ao Primeiro Ministro face ao Presidente da FIFA e do Ministro da Educação face a dois elementos diretivos da FPF, sem mais informações adicionais, seriam sempre um trabalho de pura especulação.

Quanto à entrega das medalhas e da Taça Henri Delaunay, nome correto do trofeu de Campeão Europeu, Angel Villar, foi acompanhado pelo secretário geral da UEFA, Theodore Theodoridis, sendo que apesar da confusão do momento não permitir ver com clareza, o capitão de Portugal Cristiano Ronaldo, recebeu a Taça de Campeão europeu das Mãos de Angel Villar.

Relativamente aos hinos, que foram tocados no inicio do jogo, a questão passa por ter sido alterada a habitual ordem em face do que é definido em termos de jogar em casa ou fora. Portugal surgia como sendo a equipa que jogava em casa e a França a equipa forasteira, o que determina habitualmente e em praticamente todos os jogos do Euro, que o hino da equipa da casa fosse o último a ser escutado no estádio.

Na verdade, não foi isso que aconteceu, nem o que aconteceu na meia-final entre a Alemanha e a França, já que também aqui a Alemanha era considerada a equipa da casa, mas o último hino a ser interpretado foi precisamente o da França.

Veja aqui um vídeo com o momento da entrega das medalhas e do troféu e a celebração portuguesa.

Outros Artigos de Opinião

Partilhar Este Artigo

Informação sobre o Autor

Miguel Macedo

Especialista e Formador em Protocolo

• Ex-Responsável de Protocolo Runporto.com • Técnico Superior de Relações Internacionais

Recebe Conteúdos Exclusivos

Subscreve a nossa newsletter e mantém-te informado(a) sobre o desporto no nosso concelho.